Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O dia do pai

por O Paciente Impaciente, em 20.03.17

Parece que ontem foi mais um dia do pai, os meus pais foram passar o fim-de-semana a Peniche e ontem convidaram-me a mim é à minha irmã, o marido e os seus pais para lá irmos almoçar, o almoço foi muito bom, a fome era tanta que devorei uma travessa de bacalhau com natas sozinho.
O almoço em si foi bastante animado e correu muito bem mas no entanto acabou depressa, depois ainda fomos até ao Forte dar uma volta, o problema é que que estava imenso vento, a minha irmã tirou-nos algumas fotos que devem de estar uma miséria, ao ir ao Forte de Peniche a primeira coisa que me vem à cabeça é Alcatraz, a prisão mais famosa dos Estados Unidos situada na minha primeira cidade favorita: San Francisco.
Viemo-nos embora com a promessa de voltar-mos em breve mas só quando o tempo estiver melhor (o que pelo que percebi é difícil porque faz sempre imenso vento), os pais do meu cunhado foram para casa porque tinham de ir a outro lado e nós também tinhamos de ir lanchar a casa da minha avó (aquela que falei há uns meses).
A sua casa estava cheia de pessoas, primos, tios, tias, primas, incluindo aquelas duas que não suporto ver à frente e que não se dão comigo nem eu com elas devido a outros assuntos, o lanche estava a correr bem, isso mesmo, estava, no meio de 14 pessoas eu era o mais calado (como sempre).
Por alguma razão estranha a minha avó virou a sua atenção para mim e o que se lembrou de fazer? Envergonhar-me com histórias que eu fazia em criança quando lá ia passar férias, ora, eu sou uma mistura de Yosemite Sam e o Zangado dos sete anões, já me estava a roer por dentro mas tive de aguentar até ao momento em que ela contou as coisas e se riu com aquele ar de gozo, Português que sou digo a verdade nua e crua com algumas asneiradas pelo meio.
Quem diz o que quer ouve o que não quer, o que quero dizer com isto? É simples, estava completamente enervado que nem dei por ela, pelos vistos disse que ela já me estava a enervar com umas asneiras pelo meio, o resultado? 13 pessoas espantadas a olhar para mim, o pior de tudo é que ficou tudo contra mim, uma das minhas primas que não falam comigo diz estar reformada por alguma doença qualquer mas sinceramente acho a história muito mal contada, essa disse que eu devia de passar mais tempo trancado em casa, lá está, enervado como eu estava acabou por levar por tabela, disse-lhe que era devia era de estar presa por andar a roubar dinheiro ao Estado por andar a fingir ter doenças que não tem.
Remédio santo, nunca mais a ouvi falar, eu sou um gajo porreiro a quem me trata bem, agora, odeio que me mintam, que gozem comigo e que me tentam humilhar, esse tempo já lá vai, o que me irrita ainda mais é que a minha avó tem mais gente a quem telefonar e não é que telefona todos os dias aos meus pais a pedir-lhes ajuda? Na sua vontade queria que a minha mãe deixasse de trabalhar para ir com ela ao médico ou fazer-lhe as vontades todas, essa também me anda entalada na garganta que por acaso não saiu ontem nem sei como. Tão depressa não vou a jantares/almoços/lanches onde a minha avó esteja, se há coisa que odeio é alguém que goze com a minha cara, se estou chateado? Claro que sim, estragou aquele que podia ter sido um grande dia.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:00


Comentar:

CorretorEmoji

Comentar via SAPO Blogs

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

subscrever feeds