Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



O evento do século

por O Paciente Impaciente, em 26.06.16

 

Ontem foi um dia especial, foi o casamento da minha irmã, toda a gente aqui em casa estava numa pilha de nervos, ela veio cá almoçar porque o casamento foi só à tarde, a rapariga estava mais que nervosa, o meu pai estava nervoso porque era ele quem a iria levar, eu estava nervoso porque também o estava a ver assim, fiquei ainda mais nervoso porque sabia que iria estar com muita gente junta (sofro um bocado de agorafobia).
O noivo já estava lá quando chegámos, acho que nunca o tinha visto tão nervoso, eles casaram pelo Registo Civil, ao fim de algum tempo a senhora pediu a algumas pessoas para darem umas palavras sobre eles, primeiro foi aos pais dele, de seguia aos meus, chamou também os padrinhos dele e o padrinho dela, nenhumas das madrinhas falou, comecei a ficar ainda mais nervoso porque achava que me iria calhar o mesmo (apesar da senhora ter sido avisada que eu não queria falar).
Lá estava eu, cá atrás à chapa do sol de fato e gravata com a mão esquerda na boca a tentar ser incógnito e a rezar a todos os santinhos para que não ouvisse o meu nome, tive azar, é claro que rapidamente toda a gente olhou à sua volta à minha procura, um amigo da minha irmã gritou bem alto que eu estava ali, cerrei os meus olhos e pensei: "tirem-me daqui".
Não queria falar mas já era demasiado tarde, das pessoas que me conheciam (família, alguns amigos da minha irmã) começaram a gritar e a pedir para que fosse, não tinha escolha senão ir claro, ao passar pelas madrinhas dela houve uma delas que olhou para mim e sorriu (que por sinal era a mais gira e a mais simpática), sorri de volta e continuei a andar, quando me aproximei do microfone (não, não o atirei para a piscina, que por acaso era mesmo ao lado) comecei a falar devagar para não me engasgar (tenho uma gaguez ligeira).
Eu: (a olhar para a minha irmã) S-sabes q-que gosto muito de ti e fico contente por saber que encontraste a tua Luz, mas desculpa que te diga só vim mesmo pela comida, outra coisa, antes tu do que eu (risos e a olhar para o noivo) que continues a ser quem és e agradeço-te imenso por fazeres a minha irmã feliz (a olhar para a senhora) Já posso ir comer?
Toda a gente se riu, aproveitei também para contar uma piada seca que li esta semana num Blog de uma rapariga: "Havia um cão borracha que quando se coçou, apagou-se", toda a gente ficou a olhar para mim, pimba, 1-0, marca a equipa de fora, rapidamente decidi contar outra: "uma rapariga pergunta ao namorado se consegue arranjar alguma palavra relacionada com amor, no qual ele responde amortecedor".
Começo a ouvir um pequeno grupo de pessoas a dizer coisas como: "Boo", "vai para casa", "até a minha avó consegue fazer melhor".
Realmente a senhora do Registo Civil olhou para o relógio de pulso e fez-me o gesto para me despachar, acabo a minha extraordinária performance ao dizer aos noivos que a sorte deles é que me tinha esquecido de levar um pacote de arroz para lhes atirar, mas fechado, ainda consegui arrancar alguns risos, embora que eles preferiram confetis, estaria eu numa festa de Carnaval?
A cerimónia proceguiu normalmente, por acaso acabou rapidamente e todos seguiram para os comes e bebes, graças ao meu número consegui "sacar" números de telemóvel de algumas raparigas solteiras mas não consegui o número da mais gira, estava eu com um copo de sumo de laranja com dois icebergs lá dentro a conversar com o irmão mais novo da minha mãe, senti uma mão a passar-me pelas costas, olhei para trás e reparei que era a minha irmã, já a tinha visto em casa dela vestida e maquilhada mas ainda não tínhamos tido tempo de conversar, muito rapidamente nos abraçámos e lhe dei um enorme beijo na cabeça que estava cheia confetis.
Disse-lhe que mesmo com vestido de noiva e maquilhada que continuava feia, ela sorriu, o noivo aproximou-se e cumprimentámo-nos, senti que pela primeira vez na vida a vi feliz, na verdade, nunca a tinha visto tão feliz, disse-lhe que apesar de tudo o que passámos continuarei a apoiá-la e a protegê-la, penso que ela sabe, mas nunca me disse, eles foram-se embora de seguida.
Nesse momento aparece a madrinha mais gira e veio ter comigo, pediu-me dois beijos e abraçou-me, eu fiz-lhe o mesmo, pediu-me para que fizesse a minha irmã feliz, mas será que ela não se enganou na pessoa?  Finalmente chega a hora de lanchar/jantar, a sopa estava óptima, não me lembro de que é que era, mas sei que tinha pequenos pedaços de amendôa, de seguida veio o bacalhau, não o comi porque não aprecio muito, até porque estava a guardar um espacinho no estômago para o que viria a seguir, medalhão de vaca com cogumelos e risotto, estava muito bom. a mesa dos noivos estava mesmo ao lado da minha, levantei-me muito rapidamente da mesa e fui ter com ela, contei-lhe o que aconteceu e disse-lhe para que se casasse todos os dias, ela sorriu e aceitou, perguntou-me se tinha gostado da comida e se estava a gostar da festa.
"Isto é uma seca" disse eu, posso passar vários dias sem televisão, sem PS4 e XBox One, mas agora sem Internet é que não, principalmente eu que adoro umas boas calhandrices no Facebook e afins, não precisava de dizer que estava apenas a brincar porque ela sabia, voltei a dizer-lhe para aproveitar o resto do dia e que fosse feliz, é claro que gostou tanto do gesto que ficou com uma lágrima no olho, dei-lhe outro beijo na cabeça e sentei-me.
Cerca de duas horas sem fazer rigorosamente nada, veio a parte do Buffet, levantei-me e fui buscar um prato, deixa cá ver, fruta? Não, como-a todos os dias, doces? também não, leitão? Esquece, camarão? Pode ser, 4/5 de uma vez, fui-me sentar e comecei a comer, ou sou eu que sou muito esquisito ou então não sei, talvez tenha comido melhores, estes não eram grande coisa, perdi logo a vontade de comer mais e dei o resto à minha mãe.
Peguei no prato e levantei-me novamente, desta vez fui à parte dos queijos, tirei um de cada para ver qual deles era o melhor (adoro queijo), sentei-me e comecei a comer, eram todos tão bons que era difícil de escolher, mas talvez o que gostei mais foi mesmo o Président, nesse momento começou o baile e eu não liguei muito, mas também, talvez seja da idade, mas achei o som demasiado alto, a única pessoa que me convidou para dançar foi mesmo a minha irmã, mas...com estes sapatos e pés de chumbo é impossível.
Fiquei o tempo todo sentado, ao meu lado estava uma prima minha que veio de Berlim de propósito a Portugal para assistir ao casamento, o resto da noite correu muito bem, ela merece tudo e mais alguma coisa desde que seja para a fazer feliz, tenho imensa sorte em tê-la como irmã mesmo que muitas das vezes tenha tendência para lhe torrar a paciência.

13438798_1162816117073686_8635199469450626291_n.jp

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:43

Amizades que acabam

por O Paciente Impaciente, em 22.06.16

Nos dias de hoje é cada vez mais raro haverem amizades que durem a vida toda, longe vão os tempos em que conhecíamos alguém e ficávamos amigos, grandes amigos até, dizem que se uma amizade acaba é porque nunca começou, concordo.
A amizade pode ter como origem um instinto de sobrevivência da espécie, com a necessidade de proteger e ser protegido por outros seres. Alguns amigos se denominam "melhores amigos". Os melhores amigos muitas vezes se conhecem mais que os próprios familiares e cônjuge, funcionando como um confidente. Para atingir esse grau de amizade, muita confiança e fidelidade são depositadas.
Muitas vezes os interesses dos amigos são parecidos e demonstram um senso de cooperação. Mas também há pessoas que não necessariamente se interessam pelo mesmo tema, mas gostam de partilhar momentos juntos, pela companhia e amizade do outro, mesmo que a atividade não seja a de sua preferência.
A amizade é uma das mais comuns relações interpessoais que a maioria dos seres humanos tem na vida, Em caso de perda da amizade, sugere-se a reconciliação e o perdão. Carl Rogers diz que a amizade "é a aceitação de cada um como realmente ele é", sendo assim o que devemos fazer quando deixamos de falar com alguém? Devemos de nos preocupar ou apenas seguir em frente? Escusado será dizer que é muito difícil de encontrarmos alguém que goste realmente de nós, que nos compreenda e não nos julgue pela aparência mas sim pelos nossos actos, mas será que isso é assim?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:02

Despedida de solteiro

por O Paciente Impaciente, em 20.06.16

Neste último sábado fui a uma despedida de solteiro, confesso que nunca tinha ido a nenhuma, só fui porque o rapaz em questão vai-se casar com a minha irmã este sábado que vem, não conhecia mais de metade das pessoas, no total eramos cerca de 17 pessoas, das poucas pessoas que eu conhecia era mesmo o noivo, o pai dele e o meu, conhecia também apenas 4 amigos da minha irmã, fomos a um restaurante chamado "o côdea" o jantar em si correu bem, jantávamos enquanto Portugal jogava contra a Aústria.
Rapidamente o restaurante encheu quando aparece o falhanço do século do Cristiano Ronaldo, a reacção de toda a gente dentro daquele espaço foi engraçada e quando acabámos de jantar um dos amigos do noivo foi buscar um bolo e um saco de plástico, o formato do bolo era uma rapariga semi-despida de bikini, mas o melhor foi mesmo quando lhe deram o que estava dentro do saco, uma pequena caixa que tinha uma boneca lá dentro, o desgraçado teve que soprar, a sua sorte é que era das pequenas, senão acho que ainda estaria a soprá-la até agora, é um bom rapaz e parece gostar muito da minha irmã, espero sinceramente que ele a faça muito feliz porque infelizmente já a vi a sofrer demasiado. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:36

Desabafos

por O Paciente Impaciente, em 19.06.16

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:12

Into the wild

por O Paciente Impaciente, em 18.06.16

Estive a rever o Filme chamado Into the wild Realizado pelo Sean Penn, para quem nunca o viu fala sobre um rapaz que acaba os Estudos e decide fazer uma viagem pelo País através da Natureza, decide também queimar todo o seu dinheiro e documentos porque acredita que a Sociedade está a ficar tóxica demais para viver, é um Filme espectacular que vale imenso a pena ser visto nem que seja apenas uma vez na vida, tem também uma Banda Sonora que ficou a cargo do grande Eddie Vedder.
Já comentei com algumas pessoas que qualquer dia farei o mesmo, dinheiro não é problema porque tenho o meu próprio salário, escusado será dizer que todas essas mesmas pessoas se riram na minha cara, virei-lhes as costas sem dizer uma única palavra enquanto tentavam desesperadamente recuperar o fôlego devido à quantidade de tabaco que fumam (não tenho nada contra fumadores), a minha casa fica ao lado do Pinhal de Leiria e seria uma boa maneira de começar a minha viagem, depois talvez seguia para Norte mas sempre pela Costa, não faz mal se iria sozinho ou não, o principal é que fizesse algo que me deixasse realmente feliz.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:27

Sociedade estranha

por O Paciente Impaciente, em 17.06.16

Ultimamente tenho andado reparar que a Sociedade anda estranha, mais podre, das poucas vezes em que ligo a televisão só vejo guerras, destruição, corrupção, violência, etc, mas o que me tira realmente do sério é o facto de a maioria das pessoas já não querer nada sério, para cada lado em que me viro também só vejo traições e desilusões.
Se já sofri por quem não devia? Sim, se já tive a minha dose de desilusões? Também, mas não venho aqui para falar de mim mas sim da Sociedade em si, tal como eu ia a dizer, hoje em dia ninguém quer ter uma relação séria, as que têm tentam ao máximo enganar e humilhar a pessoa que têm ao seu lado, talvez seja por ter nascido nos Anos 80 ou então se deva à minha Educação, mas sempre me ensinaram a não brincar com os sentimentos de ninguém, nunca se sabe o dia de amanhã, não é que eu me ache melhor que toda a gente porque não sou.
Sempre me ensinaram a respeitar as outras pessoas, principalmente as mais velhas, sim, confesso que não gosto de algumas pessoas porque detesto pessoas falsas e arrogantes, mas nesse aspecto tento não ligar muito, será que tudo isto irá melhorar no Futuro? Será que as pessoas irão ganhar juízo e tratar as outras pessoas com respeito? Infelizmente não me parece que isso venha a acontecer, conheço casos em que as relações não estão a correr bem porque as pessoas perdem o interesse rapidamente, é uma pena, hoje em dia não há quase ninguém que queira fazer tudo por tudo para ter uma relação estável e duradoura, quando temos aquilo que tanto quisemos, continuamos a querer ter?

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:53

Insistir ou desistir?

por O Paciente Impaciente, em 16.06.16

A certa da Vida encontramos alguém que nos faz vibrar, que nos dá borboletas no estômago, alguém que no qual nos apaixonamos imenso mas nunca sabemos se irá correr bem ou não, devemos de dizer a essa pessoa que estamos apaixonados por ela? 
Por vezes corremos o risco de não dizermos ou fazermos aquilo que mais gostamos com medo que as pessoas possam pensar e acabamos por perder momentos especiais da nossa Vida, se gostamos de alguém devemos de dizer o que sentimos mas...e se essa mesma pessoa não sentir o mesmo que nós? Continuaremos a insistir ou devemos de seguir em frente? Uma rejeição dói imenso, parece que o Mundo nos cai em cima, sentimo-nos péssimamente, ficamos sem vontade para nada e nada nos agrada, dizem que há uma alma gémea para cada pessoa mas nem sempre ficamos com o amor das nossas vidas, há casos em que as relações não correm bem, é claro que quase sempre metemos a Felicidade das outras pessoas em primeiro lugar e esquecemo-nos de nós próprios, normalmente quando isso acontece acabamos por sofrer ainda mais, será que somos felizes com uma pessoa que demonstra viver bem sem nós?

Banda Sonora de hoje: Tindersticks - The Turns We Took

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55

A Máquina do Tempo

por O Paciente Impaciente, em 15.06.16

Quando ainda andava na Escola havia uma rapariga que tinha uns olhos esverdeados lindos, não a conhecia porque eramos de Turmas diferentes, confesso que quando se cruzava comigo eu ficava bastante envergonhado, queria dizer-lhe olá mas não sabia se estaria interessada em falar comigo ou não, tinhamos amigos em comum, adorava imenso o seu sorriso.
14 anos passaram e nunca mais voltei a vê-la, ainda hoje não sei o seu nome, nem sequer sei onde vive nem qual a sua profissão, mas estou extremamente arrependido em não ter pedido a um amigo meu para me apresentar, quem sabe se hoje não seríamos amigos? Contudo, adorava imenso de ter uma Máquina do Tempo e voltar a essa altura, não há dia nenhum em que não pense naquela rapariga que me fazia sorrir mesmo não sabendo, não sei se alguma vez reparou em mim e muito provavelmente nunca irei saber, o que fariam se pudessem viajar no Tempo?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:29

O paciente impaciente

por O Paciente Impaciente, em 14.06.16

"

 

Hoje fui a uma Consulta no Hospital e enquanto esperava para ser atendido, reparei que se encontrava um rapaz sentado num banco, ele, de braços cruzados, notava-se pela sua cara que já estava a ficar saturado de estar ali a apanhar uma grande "seca", de vez enquando levantava-se e andava de um lado para o outro, toda a gente que também se encontrava naquela pequena sala estava nervosa com as suas próprias consultas, ficaram ainda mais nervosas por verem aquele rapaz com cerca 1,80cm a andar de um lado para o outro, o serviço em si era bastante lento, o que deixava as pessoas ainda mais nervosas, a mãe do rapaz pedia-lhe para se sentar quieto, mas notava-se que ele estava a ficar farto de estar ali, cada vez que olhava para o monitor entrava em "paranóia" porque nunca mais chegava a sua vez, aquele paciente impaciente alto e magro era eu."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:01

Exterminador Implacável 2 - O Dia do Julgamento

por O Paciente Impaciente, em 13.06.16

Estive a rever o Exterminador Implacável 2 - O Dia do Julgamento, nem acredito que já passaram 25 anos desde o seu lançamento, é claro que nessa altura tinha eu 7 anos e ainda brincava com os bonecos da Playmobil e tão pouco me lembro o que fazia nessa altura, sei que o comecei a ver mais tarde em casa dos vizinhos de cima, naquela altura também não sabia nada do que sei hoje, confesso que a primeira vez que entrei numa sala de Cinema para ver um filme deve de ter sido para aí em 1990, é claro que pensava que iria ver uma peça de Teatro ou algo parecido (que saudades da Infância).
Mas voltando ao assunto, o Exterminador Implacável 2 sempre me fascinou mesmo eu estando proibido de o ver, mas ainda assim, eu via-o às escondidas dos meus pais, anos passaram e continuei a vê-lo, tem grandes cenas e muito bem feitas, tem também grandes efeitos especiais e explosões enormes de fazer inveja ao Michael Bay (para quem já viu os seus filmes sabe do que falo).
Já devo de ter visto este filme algumas 30 vezes (nada bate o grande Corvo com o Brandon Lee e no qual já vi mais de 250 vezes), ainda hoje não sei como fizeram certas cenas, embora que muitas delas tenham sido feitas com a ajuda da grande equipa do Stan Wiston, tem também uma excelente Banda Sonora, aquela "You Could Be Mine" tem algo de fascinante, penso que é um filme que nunca irá passar de "moda", em baixo deixo uma das minhas cenas favoritas, nisto tudo só tenho uma coisa a dizer, que grande clássico. 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:57

Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

subscrever feeds